sábado, 22 de dezembro de 2007

Finalmente...

a revelação do motivo das frutas secas estarem aparecendo aqui em doses homeopáticas e pedindo sugestões, estimulandos vocês a virem aqui esperar o "dia seguinte"...

Num dos dias do do Circuito Rio Show de Gastronomia pude saborear uma iguaria que mexeu muito com a minha cabeça. Cada pedaço que ia à boca o fazia como que procurando encontrar os sabores ali escondidos. O nome já dava uma pista: trufas de frutas secas!

A partir daquele pedacinho minha cabeça trabalhou no sentido de reproduzí-la o mais fielmente que eu conseguisse pois não houve jeito nem de saber os ingredientes.

E foi por causa deste docinho que andei que nem louco (será que eles andam que nem eu andei? Depois de conhecer um hospital de tratamento deles, já acho que esta expressão é sem sentido...) à procura da máquina manual de moer carne...

Alguma coisa me dizia que não daria certo fazer de outra forma. Por ser feito com frutas e frutos secos, imaginei um processo mais artesanal, lento. Tentar concentrar os sucos dos próprios frutos.

E, tenho que confessar que neste caso usei mais do que os três ingredientes... Mas foi por um resultado de pesquisa. Outras versões já estão à caminho até que eu eleja a minha "definitiva". Será que isto existe? Enfim...

O básico é o figo seco. Passe pela máquina usando o acessório faca de 3 dentes (ou lâminas). Só ele. Uma vez. Pouco a pouco.

Depois, o damasco seco. Em quantidade menor pois aqui a função é aumentar o volume, instigar a ser descoberto.

Para mim, acrescentei tâmaras: estão fartas, são da região e históricamente fazem parte deste trio fantástico. Menos quantidade do que as demais. Seu sabor inconfundível vai aparecer mesmo com pouca quantidade. Mesmo que as que nos chegam acabam sendo muito doces.

Agora, depois das 3 frutas serem passadas, separadamente, chega a vez de passarem pela máquina, em conjunto. É preciso mesclar as texturas, sabores, umidade...

Pronto? Claro que não.

Amêndoas e avelãs vão dar o "croc" necessário. As nuances da cor. Brincar com os sentidos. Estimular as papilas.

Na segunda passagem das frutas, juntas, coloque aos poucos o mix de avelãs e amêndoas.

Pronto. As frutas e frutos já estão agregados. Coloque a massa num tabuleiro. Faça um quadrado ou retângulo.

Deixe cair sobre ela uma poeira de cacau e açúcar. E aqui a primeira mexida que vou fazer: o cacau em pó do original será substituído por um crocante de pistachio...

Depois do cacau, corte em quadrados. Algo assim:


Foi o mais perto que cheguei do original. E, de uma certa forma, foi uma excelente oportunidade para que eu me testasse e seguisse um dos meus instintos: trabalhar um objetivo sensorialmente.

É por isso que não coloquei aqui as quantidades: é para estimular a cada um a pesquisa. Cada um deve trabalhar esta mistura através do seu sensorial. Colocar mais dos frutos que mais gosta. Enfim, "descobrir" a sua receita.

Quem vai fazer?

7 comentários:

Gourmandisebrasil disse...

Fiquei morrendo de vontade de experiemntar! acho que só ano que vem...
bjo,
Nina.

carlinhos de lima disse...

Não deixe de experimentar... e me contar!

Anônimo disse...

" Ô meu poeta dos sentidos!!!!!!!!!!!
Que lindo presente de Natal esta tua série de posts!
Obrigada!
Beijas
Li"

Livia disse...

Já vi q, assim q a Sofia nascer, vou ter q saracotear por aí em busca de um moedor de carne. E eu lembro vivamente q na casa da minha avó tinha um...
Será q até lá as tâmaras ainda estarão por aqui? e os damascos?
Oh tentação!!
carlinhos, obrigada por esse presente... Minha imaginação gustativa já está em polvorosa.
bjs e bom Natal
Lívia
(PS: Minha filha vai nascer com cara de panetone de laranja com chocolate... buááá)

Anônimo disse...

Carlinhos,que maravilha..a mãe tem este moedor de carne,e acho que nem usa mais,temos que conversar seriamente sobre isto, ficou uma sobremesa linda e suculenta,beijo e parabéns!

Gourmandisebrasil disse...

Eu de novo!
Que a sua mesa na ceia seja mto farta e rodeada de quem te ama!
2008 com muitas descobertas gastronômicas.
bjo,
Nina.

Anônimo disse...

Adorei o jeito de deixar a receita. Tenho uma versão que meus amigos chamam de bolo da blasfêmia!
Boas Festas e um Ano Novo espetacular.