sábado, 4 de outubro de 2008

Comidinha para crianças


Devo confessar que só há bem pouco tempo consegui vencer a barreira que tinha com o inhame. Não comia e nem provava dele. Muitos tentaram me dizer sobre o quão bom ele era para nosso organismo.

Não havia como comer.

Um dia, vi um cozinheiro descascando um panelão deles que viraria uma sopa para algumas pessoas com processo de doenças mentais. Aquilo mexeu com minha cabeça. Queria buscar uma forma diferente de fazer aquilo mesmo: acrescentar sabor, textura, sei lá exatamente o que se passava na minha cabeça. Ficou ali, inquietamente se remexendo por algum tempo. Também eu não fazia nada...

Comecei minhas pesquisas assim meio que sem vontade de encontrar a solução. Parecia perdido. Até porque a resistência em comê-lo continuava bem forte dentro de mim.

Eis que a vida me colocou outra vez diante da necessidade de encontrar a solução...

Comecei brincando na mistura dele com a batata doce: visualmente se integravam. O sabor doce da batata ajudava a dissimular um pouco as barreiras que eu encontrava. Mas eu não queria um resultado final molengo, escorregadio, cheio de brilho.

Pedi às meninas que cuidavam da comida das crianças para fazer um purê de inhame com batata doce. Metade do peso de uma e metade de outra. Deixei elas produzirem conforme sabiam. Afinal, uma delas dizia que adorava fazer inhame cozido, sopa de inhame e outras preparações. Deixei ela sozinha. Eu queria aprender, buscar novas formas. Quem sabe esta seria a oportunidade?

Não ficou exatamente como eu imaginei. Eu consegui comer e até gostar. Queria mais dele; sabia que poderia obter outro resultado mais próximo do que imaginava. Mas o melhor ainda estava para vir naquele dia. A mãe de uma das crianças chegou para mim e disse: "Que dia maravilhoso você me deu! Como? O que eu fiz? O purê! Minha menina não estava comendo direito já faz uma semana. Nada que ofereço ela come. Só belisca! E o purê ela não só comeu tudo como pediu para repetir!..."

A responsabilidade aumentava em relação à solução.

Em casa, resolvi dar uma mexida. Buscar uma outra textura. Compor um trio com elementos da terra talvez fosse um caminho. Assim, coloquei a batata-nossa-de-cada-dia. Um terço de cada uma delas. Tubérculos. Terra. Saúde!

Cozidos no vapor com casca. Descascados e passados em peneira fina (duas vezes para melhor homogeneizar. Voltou à panela com manteiga sem sal. Batido vigorosamente para que entrasse ar e tornasse a textura mais aerada. O resultado foi de suavidade. Dava para perceber os sabores doce e do inhame. A batata entrava apenas como facilitador da massa. Sal verificado. Cremosa estava.

Um sassame (aquele pedaço do peito de frango que os japoneses separaram do peito, grelhado com um tantinho de azeite e a mesma porção de manteiga.

Assim arrumado, uma brincadeirinha com fleur de sel e um galhinho de tomilho.

[clique sobre a imagem para ampliar]


Agora você já pode receber estes textos em seu email. Cadastre-se!

9 comentários:

andrea disse...

posso sugerir? experimente cozinhar uns 3 dentes de alho inteiros mesmo e depois processe junto com os tuberculos...o alho cozido fica adocicado, dá um sabor espeial...

Gourmandise disse...

Gosto de preparar assado, embrulhado em alumínio. Ou no pão, como o pão de batata, batata baroa, mandioca...
bjo

Rosa Maria Martins Moraes disse...

Olá...que bom que venceu do delicioso inhame. Faço um caldo com eles maravilhoso e até quem não gosta muda de idéia rapidinho. bjão

Valentina disse...

Sei que ele é muito bom para a gente, mas acho tao sem graça.gostei do teu approach. acho que vou adotar pois assim pego os nutrientes do danado.

Li disse...

Carlinhosssssssss!!!!!!
Saudades, Queridão!!!!!!!!!
Vc sempre up to date, né???????
Sabia q o inhame está com novo nome no mercado???????
Prá não ser confundido com o cará, q é um tubérculo diferente, ele- o inhame - ganhou nome novo!!!!!!:
Taro!!!!!!
Não sei se gosto, ou se concordo, mas, tb não fui consultada!!!!!!!hehehe.........
Só sei q acho essa batata gosmenta uma delícia!!!!!!!
Vc já comeu inhame - agora taro, com moelas refogadas?????????
De comer de joelhos!!!!!!!!
Ou.....apenas de forma purista refogadinho em cebola e tomate......ai.ai.ai............
Muito bom!!!!!!!!!
Beijas!!!!!!
Li

Ana de Bruxelas disse...

Carlinhos,
servi peito de frango hoje na minha cozinha.
Se tivesse visto seu sassami, com certeza meu menu seria esse! ;-)
Eu também sempre tive minhas diferenças com o Sr.Inhame mas desse jeito aí eu também pediria BIS!!!
Bisous,

Anônimo disse...

Carlinhos de Deus,

que prato mais lindo. Me deu água na boa. Nunca tive problemas com o inhame. Adoro comê-lo cozido quentinho, com manteiga e flor de sal. Saudades docê.
Beijinhos,

Elemento L

Wservir disse...

Boa tarde,

O seu blog / Site chamou a atenção dos nossos colaboradores pela qualidade das suas receitas.

Ficaríamos muito gratos se você regista-se o seu site / blog no Ptitchef.com.

Ptitchef é um diretório com as melhores referências de sites de cozinha na web. Centenas de blogs espalhados pelo mundo já estão registados, aproveite para conhecer o site Ptitchef.(www.ptitchef.com ou http://pt.petitchef.com)


Para se inscrever no Petitchef clique aquí http://pt.petitchef.com/?obj=front&action=site_ajout_form ou no link http://pt.petitchef.com e clique em "Adicionar o seu blog-site" sobre a barra laranja.


Atentamente,

Octávio
Ptitchef.com

wservir@gmail.com

Mariângela disse...

Carlinhos,sempre gostei muito de inhame ,estes dias fiz pão de inhame,uma receita que busquei lá no blog da Neide e te digo,ficou delicioso!beijo para ti!