domingo, 7 de dezembro de 2008

Pensando no lanchinho das crianças


Volta e meia estas crianças passam pela minha cabeça. Tem horas que acho que foi apenas um sonho - por ter durado tão pouco - e por não ter tido a oportunidade de me dedicar mais tempo porque nem todas as pessoas que estão à volta delas compreendem exatamente o que elas precisam.

Vaidades de vaidades: foi assim que aprendi.

Mas isto é outra história.

Pensei na variação do lanchinho de cada dia delas. Uma coisa fácil e que diante das possibilidades poderia servir de alternativa ao que é servido dia após dia.

Pra começar separei carne moída. Como eu sou preciosista, usei 500g de miolo de alcatra por ser um corte totalmente limpo de "não-carne" e, ainda com sabor. Dois dentes de alho, esmagados com a lâmina da faca foram colocados junto com uma cebola média, finamente picada.

Dois tomates, depois de higienizados adequadamente, foram pelados e tiveram suas sementes colocadas num vaso para dar cria. As polpas foram finamente picadas.

Adicionei uma colher de sopa de sal, uma colher de chá de pimenta síria e uma colher de chá de zaatar (um tempero sírio).

Espremi o suco de um limão sobre a carne e misturei todos os ingredientes. Coloquei ela sobre uma peneira para que o processo de cozimento desse início e eliminasse os líquidos.

Piquei um molho de salsa e cebolinha depois de higienizados e secos numa centrífuga. Reservei.

DICA: Você também pode usar duas colheres de sopa de tahine ao invés do suco de limão. Ele também deixará a carne úmida e ainda agregará sabor...

Como a carne ficaria no mínimo duas horas sorando, quando já havia decorrido uma hora, comecei a preparar a massa.

Usei 700g de farinha de trigo (Renata, como sempre. Mas você pode usar a que você desejar ou a que encontrar no seu mercado). Coloquei 14g de sal e misturei bem. Fiz um vulcãozinho e coloquei 10g de fermento seco, uma colher de sopa de açúcar, uma xícara de óleo de girassol (pode ser outro) e fui colocando, aos poucos, enquanto misturava, 1 1/2 xícara de água natural (no meu caso, de moringa).

Chegou a hora em que a massa foi para uma superfície de trabalho, enfarinhada, para que trabalhasse ela por aproximadamente 10 minutos ou até o ponto de "bundinha de neném".

Dividi a massa em porções de 50g e deixei descansando, coberta por um pano de prato limpo.

Cada pedaço da massa foi aberto de modo a permanecer redondo (ou próximo a isso). Ai coloquei uma porção da carne e formei os triângulos dobrando as pontas da massa. Cada dobra seguida de um "aperto" de forma a não abrir durante o assamento.

DICA: Quanto mais fina ficar a massa, mais saborosa ela ficará. Como referência você deverá "ver" o recheio pelo lado de fora...

Coloquei num tabuleiro e levei ao forno.

Uma bela forma de "completar" o lanchinho. Se você tem refrigerante e pode tomá-los, complete o prazer!

Ficaram assim...

[clique sobre a imagem para ampliar]


Agora você já pode receber estes textos em seu email. Cadastre-se!

5 comentários:

Ana de Bruxelas disse...

Mestre Carlinhooos,
sou louca por sfiha!!!
Merci pela delicada receita,
farei para o lanche da minha troupe ;-)

Bisous,

Anônimo disse...

sim, estou lendo...se isso é definitivo, não sei dizer...
obrigada de qq forma! Andrea

EMPORIUM FOOD disse...

A muito tempo procuro por uma recita facil e esta me parece ser bem pratica.

Fatima disse...

Como sempre, amo ler as suas receitas, porque elas não são só receitas, são historinhas que me fazem lembrar do meu tempo de criança, ah!!!! que saudade...
Receita maravilhosa, vou fazê-la no final de semana. bjs.

EMPORIUM FOOD disse...

Estou testando sua receita aqui em New York