segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Mini focaccia


É possível que alguém chegue até aqui pra dizer que isto não é focaccia... Paciência. Mas esta é a minha focaccia. Viva a diversidade, viva a concorrência, viva as opiniões próprias, viva a todos!

Da mesma forma que existe focaccia de bacalhau, doce (isto mesmo!), de tomates secos com muzzarella de leite de búfala, voltei às origens quando ela passou a ser uma evolução da pizza como comida dos pobres no sul da Itália.

Mas foram os napolitanos que passaram a acrescentar molho de tomate e oregano à massa, que era dobrada ao meio e devorada como se fosse uma sanduíche (Focaccia). Quem tinha um pouco mais de dinheiro punha também queijo, pedaços de lingüiça ou ovos por cima.

Daí para a frente é o que se vê hoje em dia.

Enquanto pensava nesse retorno às origens pensei no lanche das crianças... e também nos couverts nossos de cada dia. Por isso esta minha focaccia é apenas o pão que virará o sanduíche que você mais desejar. Assim, poderá ter o queijo, a linguiça, os ovos, o pastrami, o gruyère (pra desespero dos tradicionalistas que preferem a mozzarella)...

Bem, não esqueça de pesar/medir os ingredientes e deixá-los separados antes de começar...

Junte 500g de farinha de trigo (eu prefiro a Renata desde antes dela virar referência). Se você ainda não tem uma balancinha, use 3 xícaras-medida (150g) + 1/3 dela a 10g de fermento biológico seco (1 pacotinho). Misture eles bem para começar a hidratar o fermento com a umidade da farinha.

Os 30ml de azeite podem ser medidos em 2 colheres de sopa-medida são adicionados em seguida. Agora, e neste caso duas colheres-medida de sobremesa de sal (se você vai usar sal grosso na cobertura, use apenas uma colher).

A água, sempre muuuuuuuuito gelada vai sendo colocada aos poucos. Normalmente uma xícara e meia é o suficiente. Coloque primeiro a xícara inteira. O restante vai sendo adicionada até aparecer o brilho da água na massa.

Misture bem a massa (se você usa batedeira, use aquele gancho e misture em velocidade 1 até que a massa faça uma bola nele. A partir dai, passe para a velocidade 2 por mais 5 minutos.

Atenção profissionais: não vou ensinar ponto de véu! Esta é uma focaccia caseira... Ao invés de véu o povo vai trabalhar a massa até ficar com textura de “bundinha de neném”... lisinha.

Coloque ela pra descansar por vinte minutos. Afinal ninguém consegue ficar muito tempo sendo amassado sem dar uma descansadinha né? Cubra ela com o pano de prato para não secar a superfície. Há os que gostam de colocar o pano úmido...

Unte um tabuleiro com azeite. É apenas untar! Depois disto, afunde a massa apoiando as palmas das mãos sobre ela. Leve a massa para o tabuleiro e abra de forma a cobrir todo o fundo. Pode começar a abrir com um rolo desses de abrir massa e terminar no tabuleiro com as mãos.

Cubra novamente co o pano de prato e deixe novamente descansar por vinte ou trinta minutos.

Faça pequenas depressões usando as pontas dos dedos.

Daqui para a frente vai depender do que você vai colocar em cima dela... Alecrim fresco + sal grosso, tomates secos + mussarela de leite de búfala....

Volte a descansar por mais 30 ou 40 minutos.

Neste ponto acenda o forno para que ele possa atingir a temperatura ideal por volta dos 250ºC.

Coloque o tabuleiro no forno e é só esperar o dourado aparecer!



Esta forma foi conseguida com um aro de 8cm...

3 comentários:

Eliane André disse...

Carlinhos!
Postei um comentário para tua obra de mini focaccias, mas não sei onde ele foi parar!!!!
O importante é que tuas focaccinhas são lindas, douradas e fôfas!!!
É possivel até sentir o aroma!!!!
Beijas!
Li

Mariângela disse...

Carlinhos, esta focaccia me lembra um pãozinho que a mãe faz quando faz esfihas e sobra massa,fica idêntico e delicioso,assado também em forma untada com azeite,que saudade,beijo!

Anônimo disse...

ta linda sua focaccia...